Anuncie ! 728x90

Destaques da Ed. 313 - Jornal do Brás

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017 | 0 comentários







Cantinho da Saudade

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017 | 0 comentários






























Antigo Cine Piratininga, na av. Rangel Pestana, 1.540, inaugurado em 26 de março de 1943. Era o maior cinema da América do Sul, com cerca de 5.000 lugares. Hoje o prédio dá lugar a um estacionamento












Loja Pirani, “A Gigante de São Paulo”, na av. Celso Garcia, 292, em foto de 1955. Acima, ficava o Clube Independência, com seu lindo tapete vermelho








Estação Brás completa 150 anos
A Estação Brás da CPTM, situada na Praça Agente Cícero, está completando 150 anos de história no próximo dia 16 de fevereiro. O registro fotográfico é de 1942. Ela foi fundada em 16 de fevereiro de 1867 pela São Paulo Railway (SPR) como Estação Braz, passando depois a se chamar Estação do Norte e Roosevelt. Antes de passar para a CPTM em 1994, foi administrada pela Fepasa e CBTU. Hoje atende as linhas 10 – Turquesa, 11 – Coral e 12 – Safira da CPTM, fazendo integração com a Linha 3-Vermelha do Metrô. 

A aplicação do storytelling na grande mídia



Max Franco 


O atual cenário brasileiro é um ambiente perfeito para entendermos como as mídias exploram o recurso do Storytelling para ampliar o seu alcance e engajar cada vez mais os seus expectadores, ou para melhor dizer, os seus consumidores.

storytelling é uma ferramenta tremendamente eficaz, além de ancestral. Tudo indica que desde que a humanidade se tornou capaz de unir fonemas a significados, ela também desenvolveu a habilidade de criar e contar histórias. Somos, portanto, storytellers há milhares de anos. Talvez, isto explique o nosso apreço por histórias e por que estamos sempre em busca delas, não importando a fonte: livros, filmes, séries, esportes, jornais, noticiários... Continuamos amantes de histórias. Não é por acaso que os contadores de histórias mais populares são tão perseguidos pela fortuna. Basta observar o estrondoso sucesso de J.K Rowling e Stephen King ou de grandes diretores como Martin Scorcese e James Cameron. A humanidade desejosa e carente de emoções venera os seus storytellers.  

Uma das técnicas comuns do storytelling é amplamente antiga e igualmente eficiente, que é a de erigir heróis e bandidos. Não há histórias sem problemas. Ninguém suportaria 400 páginas de harmonia e compreensão em um romance. Aposto que não toleraríamos nem sequer 40. Também não assistiríamos a um filme de duas horas de satisfação coletiva na tela.  A felicidade não costuma gerar audiência. O que nós realmente gostamos é de um bom problema, desde que seja grande e, é claro, alheio. Dos próprios problemas abriríamos mão com enorme desprendimento.

Então, a partir desta premissa que entra em cena um dos personagens mais importantes: o antagonista. O vulgo vilão. Não há histórias sem inimigos. E quanto mais formidável, melhor. Às vezes, o sinistro nem sequer é um ser dotado de consciência (suja). Muita vez, pode ser um furacão, um tsunami, um tubarão, o clima, a fome, uma doença... Não importa, mas sempre deve haver um adversário a ser confrontado. Como se diz na Espanha, “Quem faz o toureiro é o touro!” Não há heróis sem adversidades.

A grande mídia, da sua maneira peculiar, presta homenagens aos antagonistas do momento. Basta ver o espetáculo que criam para veicular as “notícias” sobre os ditos vilões da longa novela brasileira a qual, mesmo que não o queiramos, todos acompanhamos o tempo inteiro.  Nós sabemos detalhadamente, por exemplo, que horas Eike Batista embarcou nos EUA. Sabemos se comeu ou não no avião. Sabemos também que trazia um travesseiro à mão. Que raspou a cabeça. Que trocou de roupa. Que a sua cela é miserável. Que não tem diploma e ensino superior, por isso, a sua prisão, caso realmente se verifique, aponta para um verdadeiro calvário. E ter estes conhecimentos traz, antes de tudo, uma grande satisfação.

O fato é que a natureza humana não se alterou tanto assim depois dos séculos. Ainda apreciamos (com ardor) as execuções públicas, ocorrendo entre o número dos malabaristas e do engolidor de fogo. Sabemos o efeito popular destes espetáculos sangrentos: eles atraíam multidões. E ainda atraem. Como Quentin Tarantino nos demonstra a cada produção sua, o ser humano nutre um apreço abissal por uma boa vingança. 

O fenômeno não ficou no passado. Na verdade, atualmente está potencializado por todo o arsenal que está envolvido na cobertura destes fatos. O bandido nunca foi tão pop quanto hoje e jamais mereceu tanta atenção.  Afinal, é necessário saciar a sede de sangue da assembleia. A catarse urge. Mas é importante dizer que não é a mídia que cria a pulsão por esta satisfação vampiresca. A fome pela derrocada alheia é uma pulsão latente, natural, tão antiga quanto o homem. A mídia só a espetaculariza a fim de vender mais espaço para anunciantes.

Particularmente, quando acompanho os textos dos cronistas modernos só me vem à mente uma cena que testemunhei anos atrás. Lembro-me que estava na apresentação da “Paixão de Cristo”, em Nova Jerusalém, interior de Pernambuco. Recordo-me que só um episódio provocou mais palmas e efusividade do que a ressurreição do Cristo: o enforcamento de Judas. 


Max Franco é professor de Storytelling da Inova Business School – unidades de Campinas e São Paulo e escritor de oito livros, dentre eles “Storytelling e suas aplicações no mundo dos negócios”, lançado pela Editora ATLAS, em 2015. 

Artigo enviado pela F.Blotta Comunicação Estratégica.

Destaques da Ed. 312 - Jornal do Brás









Web Rádio E5

A primeira transmissão ocorreu em 24 de setembro de 2016

AO VIVO 24 HORAS
70s, 80s, 90s, Rock e MPB
Para ouvir, clique no player, ou então, acesse os links mais abaixo:



Título da transmissão:
Taxa de bits:
Ouvintes atualmente:
Máximo de ouvintes:

Windows Media Player

Winamp

Quick Time

Real Player

IPHONE/ IPOD/ IPAD

Android HLS Link (pode não abrir em todos) 

Android RTSP Link

Blackberry celulares smartphones

Icecast mobile link (Compatível com vários aparelhos)

URL para usar em aplicativos



Ouça no TuneIn (clique na imagem)


Para ouvir nossa rádio, baixe o aplicativo RadiosNet para celulares e tablets com Android ou iPhone/iPads.


Ouça no portal Rádios.com.br ou no aplicativo RadiosNet (clique no banner)



Retransmissora 1 - Web Rádio Boa Demais - São Paulo-SP

Site alternativo no Centova Cast




Ajude a Web Rádio E5 a continuar suas transmissões doando qualquer valor

Web Rádio E5 no Spotify

Web Rádio BOA DEMAIS

Web TV E5 - Inscreva-se

Arquivo do Rádio

Arquivo do Rádio
Viaje no tempo e relembre áudios registrados ao longo da história do Rádio no Brasil

OVNIs e ETs

OVNIs e ETs
Site do Portal E5. Tudo sobre Ufologia

Jornal do Brás

Jornal do Brás no Facebook

Terra Brasil - Últimas Notícias

O GLOBO - Últimas Notícias

Boletins na Rádio DaCidade AM

Boletins na Rádio Terra AM

 
Copyright © -2010 Portal E5 All Rights Reserved | Template Design by Favorite Blogger Templates | Blogger Tips and Tricks