sábado, 9 de janeiro de 2021

Centro de Compras tem obras em ritmo avançado

Megaempreendimento vai revitalizar a região do Brás, integrar o circuito de compras da Capital, além de atrair investimento e gerar empregos

Por Eduardo Martellotta 

No dia 19 de julho de 2019 teve início a montagem da estrutura do Centro Popular de Compras, um megashopping de 182 mil m² que está sendo construído no local onde funcionou a Feira da Madrugada no bairro do Brás.

O empreendimento é do Consórcio Circuito das Compras São Paulo S.A., vencedor da concorrência pública lançada pela Prefeitura da Capital com o objetivo de promover a requalificação urbana daquela região de comércio popular e garantir condições dignas de trabalho aos pequenos comerciantes. A concessão pública é de 35 anos. Desta forma, a gestão municipal quer incentivar o microempreendedorismo e incrementar a atividade econômica na região com a expectativa de geração de 20 mil empregos diretos.

 

O que terá o megaempreendimento

O novo shopping, que será o maior centro de compras das Américas, terá três pavimentos com capacidade para mais de 4 mil boxes e cerca de mil lojas que funcionarão diariamente das 2h às 22 horas, além de praça de alimentação com 1.200 lugares e banheiros em todos os pisos. A magnitude do projeto também se revela nos pavimentos de estacionamento, com vagas para 315 ônibus e mais de 2.400 veículos.

Os investimentos previstos também são mega: R$ 500 milhões exclusivos da iniciativa privada apenas para a primeira etapa, que inclui o Centro Popular de Compras e um sistema circular de ônibus que fará integração entre diversas áreas comerciais da Capital, como a 25 de Março, o Bom Retiro e a região da Santa Ifigênia, que atraem cerca de 500 mil pessoas por dia, com centros de apoio específicos. O objetivo do Consórcio é oferecer ao cliente uma experiência de compras com mais segurança, conforto, qualidade e maior variedade de produtos.

 

Segunda etapa

Na segunda etapa, o projeto contará com um prédio com salas comerciais, hotel e o restauro de um prédio da antiga RFFSA. Cabe ao Consórcio Circuito das Compras a implantação, operação, manutenção e exploração econômica do empreendimento compensando a Prefeitura de São Paulo com parte das receitas, conforme previsto no contrato de concessão.

A construção do Centro Popular de Compras foi iniciada em 2018 e tinha previsão inicial de ter sua conclusão em agosto de 2020. Devido à pandemia do Covid-19, as obras deverão ser finalizadas em meados de 2021.

 


Fotos: Marcos Felício (imagens capturadas do vídeo dele em seu canal homônimo no YouTube, no dia 17/11/2020)

 








Eis o projeto do Centro Popular de Compras

 

continue lendo Centro de Compras tem obras em ritmo avançado

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

PIX muda relações de consumo

 

POR THIAGO MASSICANO

Época de evolução e um mundo cada vez mais tecnológico, eis que surge uma nova modalidade de forma de transações financeiras, o PIX, desenvolvido pelo Banco Central do Brasil e que promete revolucionar o mercado de consumo. Trata-se de uma ferramenta financeira que cumpre integralmente a substituição do papel moeda e cartões de débito.

Nos dias de hoje, para ocorrer uma compra e venda de um determinado produto, o lojista aceita o recebimento em espécie ou em maquinas de cartões. Na primeira hipótese, normalmente falta o troco em dinheiro, dificultando assim a negociação e muitas vezes a concretização do negócio. Quando isso ocorre, é comum ouvirmos “você não quer passar no cartão”?

Isso porque, para o lojista, é mais fácil e para o consumidor é mais prático. No entanto, isso gera custo e demora efetiva ao proprietário do estabelecimento, que vê o seu lucro ser descontado de uma operação do cartão e quando, na maioria das vezes, precisa daquele valor para seu capital de giro, tem mais descontos, onerando a cadeia produtiva. Para o consumidor, indiretamente é prejudicial, pois encarece o produto que, em tese, poderia estar mais em conta com o pagamento à vista.

No entanto, ter valores na carteira, ou mesmo uma determinada quantia, se torna cada vez mais raro, o que prejudica muito o mercado.

Imagina que você está em uma loja e se interessa por um determinado produto com um valor considerável. Ninguém vai ao caixa sacar esse valor. O lojista aceita aquela quantia somente à vista e, se passar no débito, o valor aumenta. O que faz o consumidor? Desiste da compra.

Agora, com o novo formato aprovado para todas as instituições financeiras que operam no Brasil, o PIX veio revolucionar a forma como conhecemos do câmbio e de compra e venda. Basta o consumidor e o lojista terem um cadastro em seu banco com o código-chave para que, com um simples QR Code a leitura do smartphone realize a operação financeira independentemente da hora e dia.

Ou seja, qualquer empresa poderá vender seus produtos em feriado, madrugada, domingos, sem a necessidade de ter que pagar taxas para as máquinas de cartões e, além disso, realizar operação financeira com o seu cliente, recebendo o valor à vista, diretamente na sua conta corrente.

Para o cliente, ou consumidor, a vantagem é ter na palma da sua mão e do seu celular todo o valor disponível em conta corrente sem ter que sacar em espécie ou ter que pagar ao banco uma operação financeira, seja por DOC ou TED.

Isso, na prática, significa maior transparência nas relações comerciais, com menor custo de operação, realizando situações novas nas relações de consumo que viabilizam a estrutura negocial e facilidade comercial.

Assim, a partir de novembro, basta os clientes e lojistas, fornecedores e fabricantes terem cadastro em seu banco pelo PIX gerando assim o código-chave para realizar transações, comerciais recebendo imediatamente os valores todos os dias da semana, 24 horas por dia.

*Thiago Massicano é especialista em direito empresarial e sócio-fundador da Massicano Advogados. Acompanhe outros artigos sobre Direito em www.massicano.adv.br

continue lendo PIX muda relações de consumo

terça-feira, 24 de novembro de 2020

Transações no comércio online cresceram 20% nas Américas

 










● Uma atualização do último levantamento

da Cashback World, uma das maiores

Comunidades de Compras do mundo,

registrou aumento de 20% nas transações 

na plataforma nas Américas, que inclui 

Brasil, Canadá, USA, Colômbia e México;  
● A categoria que lidera as transações da

plataforma é a de Computadores & 

Softwares com 130%, seguida por 

Eletrônicos com 125% e Roupas & 

Acessórios com 103%;  
● Já as que apresentaram maior queda

foram: Equipamentos Médicos (-80%),

Livros & Músicas (-69%) e Roupas & 

Brinquedos Infantis (-57%)  

 
São Paulo, 23 de novembro de 2020

Desde o início do ano, a economia 

mundial vem acompanhando as 

consequências da pandemia do novo 

coronavírus. No terceiro trimestre 

percebeu-se um início na retomada 

econômica, com os testes pela vacina 

avançando e a aparente queda nos

casos, na maioria dos países, 

trazendo um cenário mais positivo 

de controle a médio prazo. Dados 

atualizados de uma das maiores 

Comunidades de Compras do mundo,

Cashback World, refletem o 

otimismo na retomada do consumo. 

O levantamento, que leva em 

consideração os dados da plataforma

nos Estados Unidos, Canadá, Brasil,

México e Colômbia, revelou que o

volume de transações online na 

plataforma cresceu 20% no 

comparativo do terceiro semestre de

2020 com o segundo.  
Contudo, no final do terceiro 

trimestre começaram os indícios de

uma segunda onda da doença na

Europa, com o consequente 

estreitamento das medidas restritivas

de circulação, impactando diretamente

no consumo e na economia, deixando 

o cenário incerto novamente.  
"O cenário tem se mostrado bastante 

volátil, mas é certo que o comportamento

de consumo online deixou de ser 

esporádico e virou uma realidade 

irreversível. O conceito do consumo 

inteligente acompanhou essa 

movimentação e caiu no gosto da 

população, que agora tem o hábito de

buscar por mais vantagens e benefícios,

como o Cashback, antes de 

efetuar suas compras", destaca Roberto 

Freire, CEO Américas da myWorld--

operadora da Cashback World no Brasil.  
Segundo o levantamento que compara 

os resultados do terceiro trimestre deste

ano frente ao segundo, nas Américas, 

as categorias de maior destaque em 

volume de transação na plataforma,

foram: Computadores & Softwares

(130%), Eletrônicos (125%) e 

Roupas & Acessórios (103%). 

Em compensação, as categorias

que apresentaram as maiores quedas

foram: Equipamentos Médicos (-80%), 

Livros & Músicas (-69%) e Roupas &

Brinquedos Infantis (-57%).  
"Em comparação com o nosso último

levantamento, percebemos que houve

algumas mudanças no comportamento 

de compra nesses períodos, 

evidenciados pelas categorias de 

maior e menor procura. A única 

categoria que manteve um número

alto de transações foi a de 

Computadores & Softwares, o que

é natural por conta da permanência

do sistema home office, que ainda

vem sendo praticado por muitas 

empresas. Um ponto curioso é a 

mudança da categoria Livros & 

Músicas, que no segundo trimestre

estava entre as de maior busca e no

terceiro tri aparece entre as maiores

quedas", ressalta Freire.  
O levantamento demonstra que o 

comércio online ainda é responsável

por grande parte do volume de 

consumo da população. Ainda de 

acordo com dados da Cashback 

World, houve um aumento de 

10% nas vendas no terceiro trimestre, 

acompanhada pelo aumento de novas

Empresas Parcerias na plataforma, 

seguindo a tendência de digitalização

dos negócios e passando a buscar 

novas formas e plataformas que 

possam ajudá-los a oferecer mais 

valor e se diferenciarem no digital.  
Com mais de 150 mil Empresas 

Parceiras na plataforma da Cashback

World e mais de 15 milhões de 

consumidores Afiliados, a empresa

oferece Cashback em cada compra

feita, que varia de acordo com a loja

e pode chegar a até 20% do valor

da compra. Para facilitar ainda mais

a experiência, a plataforma possui 

um aplicativo para dispositivos 

móveis, o Cashback App, que já

está disponível para download 

em sistema operacional iOS e 

Android e onde é possível 

conferir as promoções, realizar 

compras e controlar o saldo de 

Cashback a receber. 

Além disso, a organização apoia

duas fundações sem fins lucrativos

e com atuação global: a Greenfinity

Foundation, com foco ambiental, 

e a Child and Family Foundation, 

com projetos de educação e

ajuda humanitária.  
 
 

Sobre a Cashback World  
Comunidade internacional de

Compras multicanal e 

multissetorial, a Cashback 

World oferece benefícios 

atraentes de compras (Cashback

e Shopping Points) para clientes

que desejam economizar 

dinheiro comprando em todo o

mundo, tanto online como em

lojas físicas. Além disso, a 

Cashback World oferece às 

Empresas Parceiras um 

programa de fidelidade de 

clientes inovador e descomplicado,

permitindo que eles se tornem 

parte deste mundo. Atualmente,

Cashback World está ativa 

em 50 países, onde mais de mais

de 15 milhões de consumidores

desfrutam de benefícios de compras

em aproximadamente 150.000 

Empresas Parceiras globalmente. 

 



Fonte: JB Press House
www.jbpresshouse.com









continue lendo Transações no comércio online cresceram 20% nas Américas