São Paulo 468 anos: 78% dos paulistanos declaram que amam a cidade e não pretendem se mudar

 Entre as referências que ilustram a “terra da garoa”, 87% concordam que São Paulo é a melhor cidade para trabalhar

Para 77,6%, a metrópole reúne um pouco de tudo do mundo inteiro

19,3% indicam a Avenida Paulista como o endereço que mais retrata a metrópole

O pastel ficou na preferência de 15% dos paulistanos na capital da pizza, indicada por 14,6%



Avenida Paulista. Créditos: Nathana Rebouças | Unsplash


São Paulo, janeiro de 2022 - Considerada a maior cidade do Brasil e a mais populosa da América do Sul, São Paulo está entre as dez maiores do mundo e comemora 468 anos em 25 de janeiro. Se o trecho “Alguma coisa acontece no meu coração que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João”, da música Sampa, interpretada por Caetano Veloso, já fala muito sobre a cidade, a Hibou - empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo - preparou a pesquisa inédita “São Paulo 468 anos” para entender ainda mais as impressões dos paulistanos sobre a cidade.


Ao todo, 2900 pessoas foram entrevistadas em São Paulo, de forma digital e em campo, e entre os respondentes, 13% são paulistanos por opção, e há desde aqueles que acabaram de chegar à cidade até moradores que vivem aqui há mais de meio século.


“Durante a pesquisa, foi muito interessante perceber o quanto as pessoas abraçam São Paulo e se sentem acolhidas pela cidade. Com um tempo médio de 17 anos vivendo em SP, os paulistanos mesclam de forma inegável suas histórias com a da capital e têm conhecimento sobre o local que moram”, observa Lígia Mello, coordenadora da pesquisa e sócia da Hibou.

 

A cidade é multifacetada e agrega múltiplas nacionalidades. Para 77,6% dos paulistanos, a metrópole reúne um pouco de tudo do mundo inteiro. Além disso, tem uma atmosfera única e não é à toa que é conhecida como a cidade que não pára e não dorme. 78% compartilham o amor por São Paulo e não pretendem se mudar tão cedo; 71% acreditam que seja um bom lugar para viver e se criar uma família; e 46,6% analisam que São Paulo está melhorando a cada ano. Mas a capital não agrada a todos, e 24,2% assumem que não gostam da cidade e desejam ir embora o quanto antes.


Por ser um importante pólo econômico, a capital oferece inúmeras oportunidades profissionais, 87% dos paulistanos concordam que é a melhor cidade para trabalhar; 87% também acredita que em São Paulo a vida acontece, principalmente, a profissional.


Meu, eu amo a gastronomia paulistana

A metrópole acolhe cidadãos do mundo e isso se reflete na pluralidade da gastronomia paulistana, onde é possível encontrar pratos típicos de diferentes origens. Mas há algumas comidas que mais representam a identidade de São Paulo. Para 15% dos paulistanos, o Pastel de Feira está no topo, enquanto o famoso Sanduíche de Mortadela ficou na última posição. O “big sanduba” foi indicado por apenas 1,3%, ficando atrás, inclusive, do Virado à Paulista, indicado por 1,4%. Também foram indicados: Pizza (14,6%); Prato Feito - PF (11,3%); Cachorro Quente (11%), Massa (7,4%); Churrasco (7,2%); Hamburguer (6%); Churrasco grego (5,1%); Feijoada (4,8%); Cuscuz paulista (4,5%); Pão na chapa (3,2%); Sushi (1,8%) e Yakissoba (1,6%).

 

As bebidas que mais representam a capital paulista surpreenderam. Se o Pastel de Feira se destacou entre as comidas, a sua dupla, o Caldo de Cana, ficou em quarto lugar, citado por 11,4%. O grande destaque foi o Café, indicado por 14,7% dos paulistanos. Ainda foram citados: Refrigerante (13,5%); Café com leite / pingado (13,4%); Cerveja (11,3%); Chopp (6%); Tubaína (5,5%); Caipirinha (4,3%); Vinho( 4,1%); Água (3,2%); Gin tônica (2%); Cachaça (1,9%); Chá (1,8%); Whisky (1,3%); Suco de laranja (1,3%); Vodca (1,1%) e Aperol Spritz (0,7%).

 

“Na capital da pizza, o pastel de feira se destacou e embora o caldo de cana acompanhe os famosos pastéis, a indicação do café foi muito interessante, pois isso nos remete ao início da construção e crescimento da cidade. A economia cafeeira foi responsável por um desenvolvimento primordial que transformou a São Paulo nesta grande metrópole global”, lembra Lígia Mello.


Avenida Paulista e locais prediletos dos Paulistanos

Entre os monumentos e pontos turísticos, parques, museus, imóveis históricos e tombados, há alguns que representam mais a cidade. A Avenida Paulista foi citada por 19,3% dos paulistanos; o MASP ganhou a atenção de 13,9%; Parque do Ibirapuera, 10,9%; Mercado Municipal, 6,6%; Ponte Estaiada, 3,6%; Catedral da Sé 3,2%; e Museu do Ipiranga, 2,8%.


Entre os endereços que mais traduzem a cidade de São Paulo, o que dominou foi a Avenida Paulista sendo indicada por 45,8%, quase metade dos paulistanos. Três ruas que dispõe de comércio a céu aberto foram indicadas: a Rua 25 de Março (16,6%), a Rua Oscar Freire (4,9%) e a Rua Galvão Bueno (2,6%). Endereços que oferecem entretenimento, encontros e gastronomia como Rua Augusta (8,4%); Beco do Batman (2,8%); Rua Avanhandava (1,6%) foram lembrados. Avenidas de passagem e que têm alta carga de trânsito tiveram seu lugar: Marginais (4,4%); Vale do Anhangabaú (4,3%); Avenida Ipiranga (3,1%); Radial Leste (2,6%); Avenida 9 de Julho (1,4%); Avenida Cruzeiro do Sul (1,3%).


“Moro em Jaçanã…”

Há músicas bem significativas para os paulistanos, a mais indicada foi Sampa (Caetano Veloso), por 10,5%; Trem das Onze (Adoniran Barbosa), um outro clássico, está nas preferências de 10,3%; São, São Paulo (Tom Zé), foi indicada por 5,8%; Augusta, Angélica e Consolação (Tom Zé), por 4,1%; Bipolar (MC Don Juan, MC Davi e MC Pedrinho), 3,4%; Não existe amor em SP (Criolo); 1,9%; Sampa Midnight (Itamar Assumpção), 1,7%; Terra da Garoa (Gabi Bueno), 1,5%; Saudosa Maloca (Demônios da Garoa), 1,5%; Envelheço na cidade (Ira), 1,5%; Hino do Corinthians, 1,3%; Chove Chuva (Jorge Ben Jor), 1,3%; Bum Bum Tam Tam (MC Fioti), 1,3%; Até que enfim (Ferrugem) e 1,3%; Atrasadinha (Felipe Araújo), por 1,1%.

Existem também personalidades icônicas. As cinco que mais representam São Paulo, segundo os paulistanos, são: Silvio Santos (7,7%); Tom Zé (4,7%); Ayrton Senna (3,9%); Adoniran Barbosa (3,7%) e Supla (3,6%).


Ibira, o parque com a cara de SP

Os mais de 80 parques da capital paulista ocupam 20% do território do município e trazem a natureza para o ambiente urbano. Entre tantas opções, quase metade dos paulistanos identificaram o Parque do Ibirapuera como sendo aquele que é a cara de São Paulo, ele liderou com 44,3% das indicações. Na sequência, estão o Parque da Água Branca (8,2%); Parque Villa Lobos (5,7%); Jardim Botânico de São Paulo (5,3%) e o Parque Burle Marx (5,1%).


Rolê no Shopping
Há quem diga que a praia do paulistano é o shopping. Na metrópole, há mais de 50 deles, e os que são considerados os melhores. De acordo com os paulistanos, os cinco melhores shoppings são: Shopping Ibirapuera (9,6%); Bourbon Shopping São Paulo (7,4%); Shopping Iguatemi (5,4%); Shopping Metrô Santa Cruz (4,8%) e o Shopping Aricanduva (4,1%). Cada um deles está em uma região da cidade, demonstrando a pluralidade de quem vive na capital.


10 Bairros de SP

“Na pesquisa, também fomos a campo e falamos com paulistanos de dez bairros, selecionados de acordo com o Mapa da Desigualdade 2021, da Rede Nossa São Paulo. Cada um apresenta características específicas e há aqueles que os moradores menos gostam. Percebemos que a segurança é o principal fator que não gostam em seus bairros, seguido pela precariedade de saúde”, analisa Ligia.


Apontada por 44,2% dos paulistanos, a segurança foi indicada como o que menos gostam nos bairros em que vivem. Com a pandemia em andamento, o tema saúde surgiu na sequência e foi citada por 19,3%. Outras cinco características indicadas foram: localização (12,5%); centros comerciais, shoppings e lojas (10,4%); transporte público (9,8%); lazer (9%); mobilidade (5,2%).


E entre os bairros, quais são os lugares que mais representam os paulistanos? Foram selecionados dez bairros, e os moradores revelaram suas preferências.


De acordo com o Mapa da Desigualdade 2021, da Rede Nossa São Paulo, 10 bairros foram selecionados e os moradores indicaram os lugares que mais representam os bairros onde moram

Metodologia

A pesquisa inédita “São Paulo 468 anos” realizada pela Hibou entrevistou 2900 pessoas, de forma digital e em campo, entre os dias 5 e 15 de Janeiro de 2022. A faixa etária dos entrevistados é formada por 28% com idade de 36 a 45 anos; 23% de 26 a 35 anos; 19% de 46 a 55 anos; 16% de 56 anos ou mais; 14% até 25 anos.
 

Sobre a Hibou
Hibou é uma empresa especializada em pesquisa e monitoramento de mercado e consumo, existente há mais de 11 anos. A Hibou trabalha o tempo todo com informação e olhares inquietos sempre do ponto de vista do consumidor. A empresa produz conteúdo qualificado utilizando ferramentas proprietárias para aplicação de pesquisas e análises de profissionais com mais de 20 anos de experiência. A Hibou oferece pesquisas qualitativas, quantitativas; exploratórias; de profundidade; de campo; dublê de cliente; desk research; monitoramento de comportamento; presença de marca; expansão de região; expansão de mercado para produtos e serviços; teste de produto e hábitos de consumo.


Fonte: FR&SH



Postar um comentário

0 Comentários

Web Rádio E5 24h

Web TV E5



Web Rádio Boa Demais

Boletins na Rádio DaCidade AM

Boletins na Rádio Terra AM

Notícias da Ufologia

Notícias da Ufologia
Site mais antigo do Portal E5, agora reformulado. Tudo sobre Ufologia.

Arquivo do Rádio

Câmeras CET - São Paulo-SP

Câmera São Paulo-SP