Colorado faz 45 anos e torce por Vacina

Por Eduardo Martellotta 


 














Fundado em 1° de outubro de 1975, a partir de uma reunião entre amigos, na rua Rio Bonito esquina com a Almirante Barroso, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Colorado do Brás herdou o nome de um time de futebol do qual seus fundadores participavam. 

O objetivo da fundação, ocorrida entre o Sr. José Preto, D. Martha de Oliveira, Percival Maricato, Tino e Tuia, em conjunto com diversos moradores do bairro, era divulgar a cultura popular brasileira e desenvolver projetos sociais para atender a comunidade mais carente da região. 

Hoje aos 45 anos, sem quadra e com sede alugada na rua Itaqui, 141, a Colorado do Brás pertence ao Grupo Especial e não irá desfilar no dia 12 de fevereiro de 2021, por conta da pandemia do Coronavírus. Os desfiles foram adiados para o mês de maio do ano que vem. 

Até lá, a escola vai se preparando, em meio à pandemia, para o enredo escolhido: “Carolina – A Cinderela Negra do Canindé”, que irá fazer uma homenagem à saudosa escritora e poetisa Carolina Maria de Jesus, que morou no bairro. A torcida na escola agora é para o surgimento da vacina contra a Covid-19. 


























Um pouco da história 

A Colorado sempre lutou para manter e ampliar os projetos sociais que desenvolvia para a comunidade, como o projeto Kinderê, que formou profissionais em várias áreas de trabalho. 

Após conquistar três Acessos seguidos, a escola chegou em 1986, ao Grupo Especial. O samba de 1988, “Catopés do Milho Verde – de Escravo a Rei da Festa”, é até hoje considerado um dos melhores da história do Carnaval de São Paulo. 

Em 1991, a agremiação conquistou um espaço social localizado na avenida Carlos de Campos, 840, no bairro do Pari. Essa vitória impulsionou os trabalhos e a Escola retornou ao Grupo Especial por mais dois anos (1992 e 1993). 
No final da década de 90, a história de sucesso da escola deve um declínio, reflexo de sucessivas administrações conturbadas que levaram ao encerramento dos projetos sociais e a perda da quadra, pela então prefeita Marta Suplicy, em 2003. 

Depois de 10 anos, a Colorado voltou a figurar entre as principais escolas de sambas de São Paulo, retornando ao Grupo de Acesso. 

No Carnaval de 2018, a escola alcançou o vice-campeonato no Grupo de Acesso. O excelente resultado obtido permitiu à Colorado do Brás o retorno ao Grupo Especial em 2019 após 25 anos. 

















 
 

 





 

Postar um comentário

0 Comentários

Web Rádio E5 24h

Web TV E5



Web Rádio Boa Demais

Boletins na Rádio DaCidade AM

Boletins na Rádio Terra AM

Notícias da Ufologia

Notícias da Ufologia
Site mais antigo do Portal E5, agora reformulado. Tudo sobre Ufologia.

Arquivo do Rádio

Câmeras CET - São Paulo-SP

Câmera São Paulo-SP