Novembro Azul: campanha reforça o cuidado com a saúde do homem

Pesquisa revela que 60% dos homens só vão ao médico com doenças em estágio avançado



Um levantamento realizado pelo Centro de Referência da Saúde do Homem, órgão da Secretaria de Estado da Saúde, mostrou que 60% da população masculina só vai ao médico quando, de modo geral, doenças já estão em estágio avançado, um dado preocupante e que reforça ainda mais a importância de movimentos em prol da saúde masculina, como o Novembro Azul.

Essa campanha traz uma reflexão indispensável a respeito do bem-estar do homem, sobretudo em relação ao câncer de próstata, doença que, ainda hoje, é cercada de tabus, medos e preconceitos.

Segundo Fábio Cantinelli, médico psiquiatra da Clínica Maia especializado em oncologia, o tabu é uma questão que passa pelo medo e, quando falamos de câncer de próstata, o medo toma duas dimensões: uma relacionada ao câncer, e outra associada à masculinidade.

"Apesar de observarmos, aos poucos, uma mudança na mentalidade da população, receber um diagnóstico de câncer é algo ainda tratado como uma sentença de morte, então, na cabeça de muitos, existe a relação de que ‘se eu for ao médico, eu posso descobrir que eu tenho uma doença e, se eu não for, eu não corro esse risco’ ", afirma o especialista.

Além disso, o machismo que impera em nossa sociedade, ao longo dos anos, fez construir uma imagem negativa do exame para prevenção desse tipo de câncer, que envolve o famoso exame de toque, que é cercado de preconcepções em relação à masculinidade, à hombridade e à virilidade masculina. Assim, muitos homens deixam de ir ao médico regularmente e acabam descobrindo a doença em estágios mais avançados. Fábio acredita que esse preconceito tem diminuído com o tempo, principalmente pelo papel da imprensa.

"A mídia e as campanhas temáticas, como o Novembro Azul, estão levando cada vez mais informações importantes para diminuir esse estigma, desmistificar questões relacionadas à doença, estimular os homens a fazerem o exame de próstata, e falar sobre a importância de um diagnóstico precoce", comenta o psiquiatra.

Para quebrar todo o receio e tabu que envolve a próstata, Cantinelli explica que os homens precisam entender que o exame realizado é tranquilo, necessário e que traz muito benefício, porque quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores são as chances de tratamento. Assim, o exame de PSA (antígeno prostático específico) e, quando necessário, o exame de toque são fundamentais para o combate ao câncer de próstata.

Vale ressaltar que quando a doença é detectada, durante o tratamento, o paciente terá todo o suporte do médico, que vai acompanhar sua evolução também em relação à saúde mental, e assim poderá encaminhá-lo para um suporte especializado com psicológico e/ou psiquiátrico, se preciso. "O estresse inicial, o medo da morte, de ficar acamado, de ‘dar trabalho’ e de ter dor são fatores que podem contribuir para o desenvolvimento de um quadro depressivo no paciente. Por isso, é fundamental o médico, os familiares e as pessoas que estão ao redor ficarem atentas para sugerir um acompanhamento com psicoterapia e até mesmo com uso de medicações, se necessário. Procurar ajuda faz toda a diferença nesse momento delicado!", conclui.

FONTE: TIME COMUNICAÇÃO

  

Eduardo Cedeño Martellotta

Jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte pela FMU. Editor Geral, Redator e Repórter do Jornal do Brás (2004 a 2021). Co-autor e Prefaciador de livros e antologias da Editora Matarazzo. Autor do livro "Brás e seus Logradouros - origem e história". Trabalhou nas Rádios DaCidade AM e Terra AM. Criador e Editor do Portal E5 (2010 a 2021).

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem